3 Dicas de Storytelling

Entenda o que é Storytelling e seu efeito como ferramenta de ...
A oratória não é apenas sobre a história ou os argumentos. É também acerca de como os contamos.
É por isso que uma das técnicas importantes para qualquer orador é o storytelling. O storytelling é uma técnica narrativa que demonstra alguma coisa através da criação e encenação de personagens. Storytelling é contar uma história como se fosse um filme ou um romance literário: possui um contexto (a situação narrativa), um enredo (mensagem) e personagens (que se confrontam com um desafio ou conflito); mas o mais importante é como o orador encarna a história, a dá a ver (e a sentir) e encadeia os seus segmentos.
O storytelling é utilizado na oratória para reforçar uma tese ou apresenta-la de forma com que o auditório a possa reconhecer e identificar.
Eis as três dicas essenciais para que comece a integrar o storytelling nos seus discursos.

1. Inspire-se naquilo que motiva as pessoas

Quando um orador pretende conquistar o seu auditório e introduz um momento de storytelling, ele vai procurar uma história com que o auditório se possa reconhecer e, melhor, identificar. Não rpcoure histórias rebuscadas. Centre-se na experiência do auditório e teça uma história a partir dessa experiência: pode centrar-se num episódio, numa situação inusitada, numa observação aparentemente ingénua. Procure os pormenores e identifique aquilo que motiva as pessoas para quem fala. Ponha-se no seu lugar e pense como o auditório. Pergunte-se: "que história posso contar que interpele imediatamente o meu auditório?".


O que é uma storytelling - Estudo Prático

2. Especifique

Crie e conte uma história o mais específica possível. Inclua muitos pormenores. Utilize discurso directo quando estiver a dar voz às suas personagens, inclua efeitos sonoros, mude de entoação durante as diferentes fases da história. Um dos segredos do storytelling é não deixar que a história se torne abtracta: dê-lhe vida. Uma história é uma história de alguma coisa. Pode ser uma de superação. E nesse caso enumere todos os obstáculos e inclua descrições vívidas de como as personagens (no fundo, o seu auditório já que ele deve-se identificar com as personagens) ultrapassaram as barreiras. Discrimine os desafios ultrapassados, tudo sem se esquecer de usar uma linguagem não-verbal adequada.

3. Simplifique (torne a história acessível)

O poder do storytelling para a sua marca - Blog da IInterativaA estrutura básica da história deve ser: Problema- Identificação do Problema pelas Personagens- Resolução do Problema- Nova Situação Alcançada.
No caso da retórica (tratando-se de um discurso persuasivo) a Nova Situação Alcançada é o ponto de chegada do orador, isto é, é a tese que ele pretende provar ou demonstrar.
Não complique demasiado o enredo. Lembre-se que geralmente dispõe apenas de alguns minutos do seu discurso para provar a sua ideia através do storytelling.
Pense numa ideia ou problema e pense numa solução. Simplifique para que a história seja facilmente compreensível. Se necessário use estereótipos ou construa personagens-tipo (Pense no D.Quixote e no Sancho Pança de Cervantes).


Retoricamente, bom storytelling.





Aprenda a comunicar… e destaque-se!
Se não sabe como organizar a sua apresentação; se desconhece como fazer o auditório reagir emotivamente; se pretende conhecer os argumentos … este é o curso para si!






Como "vender" as suas ideias em 30 segundos- curso de elearning




#Comunicar #Falar em público #Oratória # Comunicação Interpessoal #Discurso
--------------
Cursos Online de Comunicação:


Curso Completo de Retórica (e-learning)
Como Escrever um Discurso em 3 Tempos (e-learning)
Como Proferir um Discurso em 3 Tempos (e-learning)
Elevator Pitch- como vender as suas ideias em 30 segundos  (e-learning)
-------------
Técnica Retórica-  um Blog para Oradores: http://tecnicaretorica.blogspot.com/
Twitter: Samuel Mateus- Comunicação (@SamuelMateusCo1): 


Mensagens populares deste blogue

Quantas palavras por minuto profere nos seus discursos?

"Obrigado pela Vossa atenção"- Como Concluir o discurso sem ter que o dizer

Apresentações Multimédia: vantagens e desvantagens