Mensagens

Exercício: Leitura Dinâmica

Imagem
Essencial para qualquer bom orador, conhecer bem o seu discurso pode significar a diferença entre o sucesso e o insucesso.
Tão importante como uma boa Acção (canône Retórico) é uma boa Memória (canône Retórico). O orador deve ser capaz de consultar as suas notas, durante o discurso, sem que isso prejudique o ritmo discursivo ou distraia o auditório.





Hoje fazemos um exercício de Leitura Dinâmica que visa ler com velocidade e que tem por objectivo:

Fortalecer a musculatura ocularCorrigir a leitura silábicaMelhorar o tempo de leituraEliminar a sub-vocalização (ler mentalmente ou sussurrando) 
Fonte: https://pt.slideshare.net/igorbassetti/leitura-dinamica-36254897


Fonte: https://pt.slideshare.net/igorbassetti/leitura-dinamica-36254897


Procure apreender de uma só vez toda a palavra evitando a sua decomposição em sílabas.

Com prática, irá conseguir ler mais em menos tempo.
Dessa maneira, disporá de mais tempo para ler mais linhas dos seus apontamentos ou discurso.
Ao mesmo tempo, diminuirá o …

Grandes Discursos: Margaret Tatcher na Câmara dos Comuns

Imagem
Margaret Tatcher, primeira-ministra britânica na Câmara dos Comuns (anos 1980)





Eis um pequeno excerto do discurso no qual se observam vários detalhes relevantes do ponto de vista retórico: A tendência da oradora de ler o discurso poderia fazer com que não estabelecesse contacto visual com o auditório. Contudo, a oradora tem o cuidado de enfrentar o auditório diversas vezes, durante vários segundos, enquanto discursa. (ver video)Insistência no uso da Anáfora (repetição da mesma palavra ou expressão) como em "Como seria prazeroso, como seria popular" (...); ou " todas as empresas têm de fazê-lo, toda a dona de casa tem de fazê-lo."Utilização da Antítese (duas ideias opostas): " Não existe apenas essa coisa de...(...), existe apenas o dinheiro...."Personificação do EstadoAssíndeto: "Como seria prazeroso, (e) como seria popular"; "Proteger a carteira do cidadão, (e) proteger os serviços públicos (...)".Metonímia: "Proteger a carteira d…

Comunicação Persuasiva: a Fórmula Mágica

Imagem
Se existisse o Santo Graal da Retórica seria, com certeza, como falar bem, ser compreendido e convencer. Existem várias fórmulas de conseguir uma comunicação eficaz.



Mas se me perguntarem por uma fórmula mágica que dá assertividade a qualquer orador terei de responder em três passos simples:

Comunicação Persuasiva =  Boa Oratória+ Boa Argumentação+ Boa Comunicação Não-Verbal


Boa Oratória (dicção, entoação, ritmo, volume e para-linguagem) Boa Argumentação (raciocínio claro, coerente e estruturado com ideias bem formuladas e articuladas) Boa Comunicação Não-Verbal (domínio da linguagem corporal, da expressão facial e da gestualidade)
No total, estas três variáveis somam uma comunicação capaz de impressionar qualquer auditório.
Enquanto retor, professor em Comunicação em Público esforço-me por desenvolver cada uma destas componentes nos alunos que formo.

Um orador que só domine a oratória dirá coisas vãs ou banais. Um orador que domine apenas a argumentação não terá capacidade de fazer-se …

Perguntas e Respostas- O que não fazer

Imagem
No seguimento do post acerca do que fazer numa sessão de perguntas e respostas, eis um conjunto de dicas acerca do que não fazer.




Em qualquer sessão deste tiponão é adequado:
1) Responder de forma irada, desagradada ou com falta de paciência. Do ponto de vista do auditório, o espaço de perguntas e respostas é tão importante quanto a comunicação principal. Respeite as pessoas que assistem evitando uma expressão facial negativa.
2)  Responder como se fosse um aluno a tentar impressionar o professor. Uma sessão de perguntas e respostas não é um exame. É uma troca comunicativa

Perguntas e Respostas- O que fazer

Imagem
Em muitas sessões de apresentações ou mesmo palestras, existe um espaço reservado para a intervenção do auditório. O orador nunca sabe o que esperar: por um lado, existem auditórios mais introspectivos que ocupam esses minutos para reflectir acerca do foi dito; por outro lado, existem auditórios muito participativos e espontâneos que apresentam, de imediato, várias perguntas.

Exercício- Trava Línguas

Imagem
Oradores, hoje apresentamos um pequeno exercício que vai melhorar a vossa dicção e aumentar a clareza da vossa oralidade.

Leiam as seguintes linhas de acordo com a seguintes fases:

1) Leia ao ritmo habitual
2) Leia devagar exagerando o movimento articular da boca e língua
3) Leia o mais depressa que puder
4) Leia depressa mas com máxima clareza de dicção.











Retoricamente, Bons Discursos!

Como não "despejar" factos

Imagem
Uma das tendências mais perigosas para os oradores é cair na tentação de transformar as suas comunicaçõe
s em apresentações de factos.

Em vez de se concentrarem no auditório, concentram-se em todos os conteúdos, pormenores, acontecimentos e autores de que se lembram e despejam-nos ao longo do seu discurso.

O resultado são auditórios "adormecidos" e anestesiados pela quantidade massiva de informação. Tornam-se indolentes e apáticos enquanto se perdem pela torrente de factos que o orador "despeja" num curto espaço de tempo.





Por vezes, os auditórios sentem-se assoberbados, sentindo-se asfixiados no meio de um discurso que saltita de conteúdo em conteúdo sem lhes dar oportunidade de parar para reflectir nesses dados.



Como não "despejar" factos  Eis 6 passos para começar a evitar o dilúvio de informação nas suas comunicações em público:
1) Organize o seu discurso por tópicos (não por parágrafos).
2) Sub-divida cada tópico em ideias-chave. Seja selectivo naquilo …