Como Arruinar um Discurso em 2 Passos Simples

Image result for oratória
A Acção Retórica corresponde à proferição do discurso e inclui muitos aspectos ligados à forma como o orador comunica a sua mensagem: o à-vontade demonstrado, o volume e tom da sua voz, a sua expressão facial ou inclusive o modo como enuncia as ideias do discurso.
Deste ponto de vista, está relacionada com a Elocução Retórica que diz respeito à expressão oral  e à linguagem do discurso.


Muitos oradores não descuidam a preparação da sua Enunciação e Acção e usam insistentemente bengalas linguísticas como "Ahhh", "Uhmmm", "Portantos", "Tipo", etc. Ora estas bengalas são parasitas da comunicação. Estão a mais. Não contribuem para comunicar de forma eficaz.

O uso dessas expressões é uma maneira muito rápida não apenas de colocar dificuldades na compreensão por parte do Auditório, como uma maneira de arruinar o seu discurso. As bengalas linguísticas são o primeiro passo para o auditório deixar de prestar atenção.

O segundo passo para destruir o seu discurso é fazer grandes pausas de hesitações incluindo, por vezes, voltar a repetir a expressão imediatamente antes. Com certeza que já ouvir oradores com este hábito. Embora possa parecer que ele está a recapitular, na verdade está apenas a interferir na fluência verbal dos seus pensamentos. As suas ideias tornam-se, assim, fragmentadas porque constantemente interrompidas. 

Geralmente, isto acontece quando o orador não está completamente preparado para proferir o seu discurso e necessita de ir reflectindo à medida que fala. As hesitações e repetições dão-lhe algum tempo para estruturar o seu discurso. O problema é que, simultaneamente, fazem o auditório desinteressar-se.
Assim, as pausas de hesitação e repetições das palavras acabadas de enunciar são o segundo passo para arruinar o seu discurso.


Imagine a seguinte enunciação do Discurso e experimente lê-la em voz alta:


ahhSenhor eehhh Presidente,
Senhoras e Senhores Deputadoshuuumm,
Escreveu, Escreveu um Herói Português do Sec.XIX que «este Reino é  eehhh obra de soldados». Assim foi, na verdade, desde a (hesitação) fundação de Portugal, ahhh atestada em, atestada em Zamora (...silêncio....) e reconhecida urbi et orbi pela Bula «Manifestis Probatum est».
Nas batalhas, nas batalhas da expansão continental ou (....silêncio-hesitação....)da defesa e restauração da independência, como nas epopeias marítimas ou,oohhhh nos nossos dias, nas missões de paz ahhhh, ou humanitárias, ahhh dentro e fora da Europa. Com as nossas Forças Armadas (----silêncio... sempre fiéis a Portugal.
Assim foi, Assim foi também, em 25 de Abril de 1974, com os ahhh jovens capitães, resgatando a liberdade, eehhh anunciando a Democracia, permitindo converter o Império oohhh Colonial em Comunidade  eeehhhh de Povos e Estados independentes (....silêncio-hesitação....), ehhh prometendo a paz eehhhz, o desenvolvimento e  (....silêncio....)a justiça para todos.

O pequeno excerto faz parte do Discurso de Tomada de Posse do Presidente da República, Doutor Marcelo Rebelo de Sousa, a 9 de Março de 2016.  

Senhor Presidente,
Senhoras e Senhores Deputados,
Escreveu um Herói Português do Sec.XIX que «este Reino é obra de soldados». Assim foi, na verdade, desde a fundação de Portugal, atestada em Zamora e reconhecida urbi et orbi pela Bula «Manifestis Probatum est».
Nas batalhas da expansão continental ou da defesa e restauração da independência, como nas epopeias marítimas ou, nos nossos dias, nas missões de paz, ou humanitárias, dentro e fora da Europa. Com as nossas Forças Armadas sempre fiéis a Portugal.
Assim foi, também, em 25 de Abril de 1974, com os jovens capitães, resgatando a liberdade, anunciando a Democracia, permitindo converter o Império Colonial em Comunidade de Povos e Estados independentes, prometendo a paz, o desenvolvimento e a justiça para todos.

Já leu o excerto sem bengalas linguísticas e hesitações?
Não é muito mais claro de perceber?

Assista agora ao vídeo do Discurso  de tomada de posse do Presidente da República. 
Repare na Enunciação elegante quase sem bengalas linguísticas ou hesitações de insegurança.
Muito mais agradável de perceber, não concorda?




Agora já sabe! 
Não destrua as suas ideias apenas porque a sua enunciação não é suficientemente cuidada.

Evite as bengalas linguísticas e os silêncios constrangedores e não deixe que estes dois simples passos ponham em causa a sua comunicação!

Um especialista em Retórica poderá ser muito valioso ao trabalhar consigo a melhor forma de não cair nestas armadilhas.


Retoricamente, Bons Discursos!


Mensagens populares deste blogue

Grandes Discursos: We Shall Fight on the Beaches de Winston Churchill

Quantas palavras por minuto profere nos seus discursos?

O Método de loci- uma das mais eficazes técnicas de memorização